MOÇAMBOLA

O FERROVIÁRIO da Beira transitou ontem para a primeira eliminatória da Taça CAF em futebol ao vencer no jogo da segunda “mão” da pré-eliminatória a equipa do Petit Revière das Maurícias por 5-2, depois de ter igualmente vencido no terreno deste por 2-1 há sensivelmente 15 dias.

Depois de transpor este obstáculo, os “locomotivas” da capital de Sofala vão medir forças com a equipa da AS Vita da RD Congo naquilo que será um verdadeiro teste, pois os congoleses fazem parte da elite futebolística africana.

TAÇA CAF Ferroviário da Beira transita com raça

No jogo de ontem os beirenses mostram mais uma vez a sua raça diante de um adversário tecnicamente fraco e sem argumentos suficientes para contrapor o fulgor dos treinados de Lucas Bararijo desde o princípio até ao fim.

O Ferroviário entrou praticamente a marcar, pois aos dois minutos o “capitão” Maninho fez o 1-0 na conclusão de uma bela jogada que terminou com um cruzamento do lateral direito Elísio para o “coração” da pequena área, onde apareceu com grande sentido de oportunismo o jogador “locomotiva” a dar o gosto ao pé.

Seguidamente, o atacante moçambicano Nelito tirou um adversário da jogada, mas o seu remate foi defendido com classe pelo guardião visitante para canto, que não resultou.

Aos 17 minutos e numa jogada genial, Gildo desferiu um portentoso remate que foi devolvido pela barra transversal. Até ao minuto 30 só dava Ferroviário da Beira, embora os mauricianos tentassem, de vez em quando, chegar à baliza contrária, mas sem muito perigo.

O segundo golo dos beirenses aconteceu aos 39 minutos. Jogada bem idealizada a partir da defensiva, passando pelo meio-campo e que na dianteira encontrou mais uma vez o génio do “capitão” Maninho em combinação com Nelito, este que por sua vez serviu Edson para fazer o 2-0.

Quando se pensava que este resultado, de 2-0, levaria as duas equipas ao intervalo, eis que a equipa do Petit, numa jogada de insistência, reduz para 2-1 através de Calambe.

Depois do intervalo as duas equipas entraram para o segundo período com a mesma disposição táctica. Numa jogada também de efeito laboratorial, Maninho voltou a estar em voga aos 48 minutos com um cruzamento para dentro da área em que colocou Nelito em luta com um contrário que, na tentativa de desviar a bola para canto, introduziu-a na sua própria baliza para 3-1.

O quarto golo dos “locomotivas” da Beira surgiu aos 70 minutos. O “capitão” Maninho novamente esteve na cena. Tabelou com perfeição com Nelito e este mandou para Reinildo, que apenas teve a missão de empurrar a bola para o 4-1, para o gáudio dos locais.

A festa “locomotiva” ainda não tinha acabado. Foi assim que aos 79 minutos Maninho volta a dar o gosto ao pé, marcando o quinto golo da sua equipa, deixando o guardião visitante Louis Romaro, que instante antes entrou a substituir o seu colega (lesionado), José Marie, sem hipóteses para a defesa.

Já quase ao “apagar das luzes” o Petit conseguiu marcar mais um golo, novamente através de Calambe, numa jogada aparentemente inofensiva, fixando o resultado em 5-2.

Quanto à equipa de arbitragem do Quénia, não há nada a realçar uma vez que não teve problemas no ajuizamento da partida.

FICHA TÉCNICA

ARBITRAGEM(proveniente do Quénia): Nelson Emile Fred, auxiliado por Steve Marie, Gilbert Lista e Alliter Barra.

FERROVIÁRIO DA BEIRA: Willard; Elísio, Cufa, Mambucho, Edson; Reinildo (Jacob), Paito (Tchitcho), Fabrice, Gildo; Nelito e Maninho (Dayo).

PETIT REVIÊRE: José Marie (Romaro); Bazerke, Paxate (Manqueth), Mabote, Tarejeau; Lew (Hangley), Calambe, Louis, George; Pierre e Hollingui.

Amarelospara Cufa, do Ferroviário da Beira, e Louis, do Petit Reviere das Maurícias.

ANTÓNIO JANEIRO

O ENCONTRO entre a Liga Desportiva de Maputo, campeã nacional, e o Costa do Sol é o prato forte da primeira jornada do Campeonato Nacional de futebol, o Moçambola 2015, segundo ditou o sorteio realizado na noite de ontem, na Gala que marca o lançamento da prova que se inicia a 14 de Março.

MOÇAMBOLA-2015 Liga-Costa do Sol derby de abertura

É sem dúvidas um grande teste para as duas equipas. A Liga quer revalidar o título que conquistou nas duas últimas edições da prova, enquanto o Costa do Sol quer quebrar o jejum que remonta desde 2007. Ainda na primeira ronda é de destacar, o ‘’clássico’’ entre os Ferroviários de Nampula e da Beira, segundo e terceiro classificados da última edição.

O Maxaquene vai apadrinhar a estreia do Ferroviário de Nacala, numa partida que será disputada em Maputo. O Ferroviário de Quelimane recebe o seu homónimo de Maputo. O Chibuto bate-se com o estreante 1º de Maio de Quelimane. O Desportivo de Nacala recebe a HCB, que acaba de regressar da África do Sul onde fez um estágio de dez dias com muito boas indicações. Finalmente o jogo de abertura que colocará frente-a-frente a ENH ao Desportivo de Maputo. A equipa de Inhambane vai estrear-se com um adversário que defrontou no ano passado na Taça de Moçambique, dai que o seu adversário tenha ficado de certa forma deslumbrado com o sorteio.

A prova arranca a 14 de Março próximo em Vilankulo, e segundo a Liga Moçambicana de Futebol decorrerá sem sobressaltos, pois os fundos estão garantidos.

A Gala de ontem também serviu para premiar os melhores do Moçambola-2014, nomeadamente a Liga Desportiva (campeã nacional), Ferroviário de Nampula (vice), o melhor marcador (Isac, Maxaquene), guarda-redes menos batido (Germano, Ferroviário de Nampula), melhor árbitro (Mateus Infante) e a equipa ‘’fair-play’’, o despromovido Ferroviário de Pemba.

Os patrocinadores também foram agraciados com diplomas de honra.

SIMANGO VAI ATÉ NOVEMBRO

Entretanto, a Gala do Moçambola foi antecedida pela 20ª Assembleia-Geral Ordinária da Liga Moçambicana (LMF) que dentre vários assuntos deliberou prorrogar o mandato de Alberto Simango como presidente do órgão até Novembro próximo.

O mandato de Simango termina em Maio, mas os associados da LMF, os clubes, decidiram estendê-lo até Novembro, alegadamente para não perturbar o curso normal do Moçambola. Simango encarrou o gesto dos associados como um sinal de confiança e tudo prometeu fazer para retribuir.

A AG da LMF aprovou por unanimidade, os relatórios de actividades e contas referentes ao exercício do ano passado, bem como o plano para este ano. O orçamento do Moçambola foi também aprovado e está estimado em dois milhões de dólares.

Nessa reunião, a LMF vincou ainda que ENH de Inhambane irá viajar via terrestre sempre que jogar fora de casa, em virtude de a companhia aérea não possuir rota para Vilankulo.

        ARBITROMARCADOR-inGUARDA

Sexta, 06 Fevereiro 2015 07:33

Há Supertaça no domingo

AS emoções do futebol regressam à tona este domingo com a disputa da Supertaça entre a campeã Liga Desportiva de Maputo e o Ferroviário da Beira, vencedor da Taça de Moçambique, a segunda maior prova futebolística do país, no campo da Afrin, na Machava, município da Matola.

 SUPERTACA.jpg

Trata-se do primeiro jogo oficial da época e que coloca duas das melhores equipas da última edição e que se preparam para as competições internacionais, designadamente as eliminatórias de acesso à fase de grupos da Liga dos Campeões Africanos e a Taça da Confederação Africana de Futebol, mais conhecida por Taça Nelson Mandela.

Este jogo servirá de termómetro sobre o trabalho que as duas equipas estão a realizar com vista às Afrotaças. O Ferroviário da Beira esteve na vizinha África do Sul e venceu no último fim-de-semana a Supertaça de Sofala, derrotando o Sporting local por 1-0. Enquanto isso, a Liga privilegiou a preparação dentro de portas.

Salientar que é pela segunda vez consecutiva que as duas equipas se cruzam para a disputa da Supertaça, sendo que na edição passada a Liga Desportiva levou a melhor.

“PENSO que temos que encarrar esta eliminatória com tranquilidade. Não há grande historial de jogos com equipas ruandesas, mas a julgar por aquilo que é tradição do seu futebol, acho que temos boas hipóteses de nos qualificarmos”, reacção de Cantoná, director desportivo da Liga Desportiva de Maputo.

LIGA

Aquele dirigente afirmou ainda que seria melhor se jogassem contra uma equipa de um país vizinho. “Estamos habituados na primeira eliminatória jogarmos contra uma equipa da zona. Para além dos adversários serem acessíveis é vantajoso porque a viajem é mais curta, portanto menos cansativa”, comentou.

Em relação à preparação da equipa Cantoná disse que as “oficinas” abrem no dia 8 de Janeiro. “Vamos começar a preparar a próxima época no dia 8 de Janeiro. Ainda não está definido o plano de treino, pois aguardamos pela chegada do treinador Litos. Ele é que vai decidir”, afirmou.

JÁ são conhecidos os adversários das equipas moçambicanas nas Afrotaças, de acordo com o sorteio realizado ontem na sede da Confederação Africana de Futebol (CAF), no Cairo, Egipto.

BEIRA

O campeão nacional, Liga Desportiva de Maputo, cruza-se com APR do Ruanda, para a Liga dos Campeões, enquanto o Ferroviário da Beira irá medir forças com Petite Reviér Noire das Maurícias, para a Taça CAF.

São adversários um tanto ou quanto acessíveis para as equipas moçambicanas, mas tudo pode acontecer, sobretudo com a Liga Desportiva, pois os ruandeses já nos criaram dissabores em ocasiões anteriores.

A primeira “mão” das Afrotaças terá lugar no fim-de-semana de 13, 14 e 15 de Fevereiro. A Liga Desportiva joga em casa na primeira “mão”, para 15 dias depois deslocar-se a Ruanda para a segunda “mão”.

Já o Ferroviário da Beira se desloca às Maurícias para cumprir com o jogo da primeira “mão”, sendo que duas semanas depois joga em Chiveve. O adversário dos beirenses é um ilustre desconhecido entre nós.

Em caso de transitarem para a eliminatória seguinte (16 avos de final), as equipas moçambicanas terão adversários egípcios e congoleses. A Liga Desportiva terá pela frente o El Ahly do Egipto. O Ferroviário da Beira irá defrontar o AS Vita da República Democrática do Congo.

Refira-se que é pela segunda vez consecutiva que a Liga e Ferroviário representam Moçambique nas Afrotaças, sendo que no ano passado conseguiram passar da pré-eliminatória.

OS Ferroviários de Maputo e da Beira digladiam-se neste sábado, às 16:00 horas, no Estádio Nacional do Zimpeto, pela conquista da Taça de Moçambique/MCEL. Nesta final inédita sabe-se que a festa será verde-e-branca, restando apenas saber se serão os maputenses ou os beirenses a carregarem o “canecão.”

TAÇA DE MOÇAMBIQUE MCEL Choque de  no Zimpeto

Importa salientar, que o Ferroviário da Beira é o actual detentor do título, pelo que em caso de vitória revalidará o título. Este desafio é visto por ambas as colectividades como sendo o da salvação da época, já que as direcções apostaram forte na conquista do Moçambola, um objectivo que não conseguiram alcançar. Perspectiva-se, por via disso, um jogo electrizante, próprio de uma final da Taça, onde estarão em campo os melhores executantes dos dois conjuntos. À excepção do zambiano Graven, aquele que durante a época foi o suplente mais utilizado na frente de ataque do Ferroviário de Maputo, todos os jogadores estão disponíveis. É portanto, na máxima força, que as turmas “locomotivas” entrarão no relvado natural do Zimpeto, num embate em que é difícil apontar um favorito.
Se noutros tempos, o Ferroviário da capital do país tinha algum ascendente sobre o seu homónimo da Beira, de há três anos a esta parte, a história inverteu-se. Os beirenses têm estado melhores, indicadores reflectidos pela conquista da Taça de Moçambique/Mcel na época passada e por ter sido vice-campeão nas duas últimas temporadas. Este ano ficou-se pelo terceiro lugar, mas nas últimas três jornadas ainda almejava o título, enquanto os “locomotivas” de Maputo têm deixado muito a desejar. Nos últimos três anos realizaram um campeonato para esquecer e desde 2011, ano da conquista da taça (último troféu ganho), entraram numa travessia do deserto que pode ter o seu fim esta tarde.
O Ferroviário de Maputo persegue a sua quinta taça, enquanto o Ferroviário da Beira luta pela terceira.

Costa do Sol bate o Têxtil do Púnguè, por três a zero, e alcança a sua vitória mais volumosa no Moçambola, que rodou hoje a oitava jornada.
Com o triunfo, os canarinhos sobem dois lugares na tabela classificativa, passam do oitavo para o sexto, com onze pontos.

Moçambola Costa do Sol 3-0 Têxtil do PúnguèSó por uma vez, os adeptos tinham visto o Costa do Sol vencer em casa, e por apenas um a zero.
Aliás no outro triunfo dos canarinhos, fora de casa, a vantagem também foi de um golo, dois a um.
A situação da equipa, com o treinador principal suspenso, não era das melhores e os adeptos foram exigir uma outra postura à equipa, diante do Têxtil do Púnguè.
Fabris da Manga que entraram para o jogo e assumiram, de imediato uma postura claramente defensiva, dificultando, e de que maneira, as intenções do Costa do Sol.
E teve que ser, por via de um auto-golo que os canarinhos chegaram à vantagem. Excelente trabalho de James à direita, cruzamento à procura de Rodrigues, na tentativa de corte, Jude desviou para a própria baliza.
Um a zero ao intervalo, para o Costa do Sol.
Na segunda parte o Têxtil do Púnguè manteve a sua postura defensiva, se bem que já saiu algumas vezes para o ataque, e os canarinhos continuaram a enfrentar problemas para furar aquela muralha fabril.
Os adeptos exigiram ao treinador a saída de Manuelito II, mas valeu a insistência de Garrincha no jogador que veio a ser fundamental no segundo golo.
Assistência primorosa para o desvio de cabeça Rodrigues.


E Manuelito quase esteve na origem do três a zero, com esta entrada para a linha de fundo e assistência para James, mas o lateral direito colocou mal o pé na bola.
Terceiro golo que viria na sequência de uma grande-penalidade, por uma pertença mão na bola de Jude, defesa central do Têxtil.
Chamado a cobrar, Chikwepo que acabara de entrar, atirou a contar, mesmo sobre o minuto noventa.
Três a zero final para o Costa do Sol que alcança aqui a sua vitória mais volumosa na prova, ao final de oito jornadas.
Com a derrota, o Têxtil do Púnguè desce para a zona de despromoção, a chamada linha de água.
Com o triunfo, os canarinhos sobem dois lugares na tabela classificativa, passam do oitavo para o sexto, com onze pontos.

liga-muculmanaEncarar os três jogos como se de finais se tratem, é o objectivo do líder do Moçambola, Liga Muçulmana, começando com o jogo deste final de semana diante do Estrela Vermelha da Beira.
A equipa de Daudo Razak, acredita que vai encontrar dificuldades mas, no final, acha que os três pontos irão ficar na Matola

Faltam três jornadas para o fim do Moçambola e, o líder da prova tem pela frente uma equipa que procurar sair da zona aflitiva: o Estrela Vermelha da Beira.
A preparação para este confronto, está a ser feita sem a presença dos internacionais que defrontaram Cabo Verde.
Mas a equipa de Daudo Faquira encara este jogo com a necessária cautela pois há que pensar que o adversário quer pontuar para procurar alimentar a conquista do título, pelo segundo ano consecutivo.
Mesma idéia tem Mustafa que mostra-se cauteloso quanto ao defrontar o Estrela Vermelha da Beira, uma equipa que, segundo ele, é das melhores que joga a bola, das que lutam pela manutenção.
O jogo entre Liga Muçulmana e Estela Vermelha da Beira disputa-se domingo, pelas quinze horas, no campo da primeira equipa, em Maputo.

Mocambola

Arrancou este sábado em todas as zonas do país, a poule de apuramento ao Campeonato nacional da primeira divisão, Moçambola 2015.
A disputa pelos três lugares, participaram no total vinte e duas equipas.

Finalmente arrancou este sábado, a poule de apuramento ao moçambola da próxima edição 2015, participaram na disputa cerca de vinte e duas equipas das quais, 8 equipas na zona sul e centro e 6 equipas na zona norte.
Nas zonas sul e centro a prova será disputada em duas fases, a primeira em duas voltas no clássico de todos contra todos, sendo que o primeiro classificado de cada serie A e B, irão decidir a única vaga reservada em cada zona para disfilar na fina flor do futebol nacional em 2015, enquanto que na zona norte por possuir apenas 6 equipas, o certame será disputado nos moldes usados no ano passado, em duas voltas no todos contra todos.
Eis o quadro total dos jogos marcados para a primeira jornada.
Na zona sul a serie A, o Clube de Desportos da Maragra recebe o Estrela Vermelha de Maputo e, o ENH de Vilankulo desloca-se a xai-xai defrontar o Clube de Gaza.
Na serie B, o Estrela Vermelha de Gaza mede forças com a Nova Aliança da Maxixe, enquanto que o Matcchedje de Maputo, joga com o Grupo Desportivo da Incomati.
Na zona Centro pela seire A, frente a frente, Sporting de Quelimane e União Desportiva de Domué e, o Sporting da Beira joga diante do Textáfrica do Chimoio.
Serie B, o Primeiro de Maio de Quelimane tem pela frente o Atlético de Gondola e, o Matchedje da Beira joga com o Chingale de Tete.
Na zona Norte, no campo do Ferroviário de Nacala, os Locomotivas da zona económica especial, teem pela frente o Desportivo de Pemba, Mandimba FC x Desportivo do Ibo e por útimo Ferroviário de Niassa joga frente a frente com o Sporting de Monapo.
No entanto, quando alguns estam ameaçados a deicer de divisão na presente edição do Moçambola, uns entram em cena já este sábado como candidatos a ocupar os possíveis lugares a serem desocupados.

<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 Seguinte > Final >>
Pág. 1 de 6

Publicidade

SKY
jogos Africanos

Moçambola 2014

Equipas
J V E D G P
1 Liga Desp. de Maputo 26 15 8 3 44 - 15 53
2 Ferrov. de Nampula 26 15 7 4 26 - 12 52
3 Ferrov. da Beira 26 13 8 5 29 - 15 47
4 Desp. Maputo 26 12 5 9 35 - 26 41
5 HCB Songo 26 12 5 9 32 - 29 41
6 Maxaquene 26 11 6 9 26 - 20 39
7 Chibuto FC 26 10 8 8 28 - 25 38
8 C. do Sol 26 10 6 10 32 - 27 36
9 CD Nacala 26 7 9 10 23 - 28 30
10 Ferrov. de Maputo 26 7 8 11 24 - 25 29
11 Ferrov. Quelimane 26 8 5 13 18 - 33 29
12 Têxtil do Púnguè 26 5 7 14 15 - 35 22
13 Ferrov. de Pemba 26 5 6 15 17 - 38 21
14 Estrela Vermelha 26 3 10 13 10 - 31 19

Galeria de fotos

jogos Africanos